Telepatia

Você lê mentes? A experiência científica mostra que a telepatia pode ser possível (Vídeo):

Telepatia não é difícil de aprender, o principal bloqueio está na crença, a pessoa deve crer que pode conseguir a transmissão telepática e a recepção. Há outro preliminar importante, você precisa ter uma mente limpa para enviar e receber. Normalmente seu ambiente externo é um reflexo do seu ambiente interno, se você vive em um lugar bagunçado e se você é desorganizado a chance é que isso reflita uma perda de energia dentro de você.

Essa é a primeira coisa que você deve fazer; livrar-se da bagunça; fazer um vazio na sua vida. Transmutar a energia do seu lugar para uma mais positiva mantendo seu lugar o mais limpo possível.

Há muita discussão sobre isso no campo do Feng-shui, eu encorajo que a pessoa interessada leia mais sobre isso, há muito a dizer sobre a energia no lugar onde vivemos.

É igualmente bom ter o hábito de ter alguma disciplina mental na forma de algum exercício de concentração.  Quanto melhor sua habilidade para se concentrar, melhor você será para enviar e receber uma transmissão telepática.

O exercício de concentração mais simples que você pode fazer é melhorar sua consciência dizendo a você mesmo palavras positivas que elevam suas vibrações e fazem de você uma pessoa mais consciente, exemplos de afirmações positivas são “Eu sou abundante”, “Eu sou generoso e cheio de recursos”, “Eu tenho paz mental”, é fácil fazer suas próprias afirmações, diga a você mesmo as qualidades que você quer adquirir, de certo modo você está mentindo a si mesmo, mas é uma boa mentira e tudo começa com a crença de que isso é possível. Você pode também melhorar sua autoconsciência e elevar suas vibrações mudando sua postura e padrão respiratório, quando você caminha, caminhe com uma postura mais confiante, também o stress e a pressão que temos que lidar em nossas vidas não nos ajuda a termos uma respiração natural. Qi gong e Yoga têm práticas que ajudam a obter um hábito respiratório correto que usa a capacidade total dos pulmões.

Aprendendo a recepção telepática

Por 10 a 15 minutos sente-se confortavelmente ou deite-se. Comece observando seus pensamentos, fique familiarizado com seu próprio fluxo de pensamentos, não julgue, nem faça comentários ou siga uma certa seqüência de pensamentos, é aqui que alguma experiência em concentração ajuda mesmo.

Quando você pode distinguir bem seu próprio fluxo de pensamentos, você descobrirá uma camada de pensamentos desconectados, de imagens e até sons.

É difícil dizer o que você conseguirá com esse exercício, imagens podem envolver pessoas que você conheça ou não, vozes podem ser familiares ou não, imagens podem surgir.

Escreva uma descrição de tudo que você percebeu, se envolve alguém que você conhece você terá que verificar com aquela pessoa se o que você recebeu foi uma legítima recepção.

Nem tudo que você receber será telepático, para ficar melhor nisso, você tem que conhecer melhor sua própria energia; dessa maneira você será capaz de separar telepatia de sua energia e de sua imaginação.

Aprendendo a transmissão telepática

Esse é um exercício de iniciante, o mais fácil que você pode fazer, que consiste de enviar amor para alguém.

Deite ou sente-se confortavelmente, feche seus olhos e imagine uma esfera violeta brilhante de luz violeta encima de sua cabeça, essa simboliza o seu chakra coronário que guarda a energia da sabedoria, agora se concentre no centro do seu peito e imagine uma luz rosa brilhante que guarda a energia do amor.

Imagine uma corrente de luz violeta vindo de seu chakra coronário para o chakra cardíaco, isso faz sua energia do coração mais sábia porque sem sabedoria seu coração é sentimental e irracional; faça a luz do coração chegar até seu chakra coronário porque sem a energia do coração seu chakra coronário é frio e distante, brinque com isso até você ter uma boa sensação, para terminar imagine um fluxo de luz vindo de seu chakra cardíaco para o chakra cardíaco de alguém que você escolher. Faça isso por alguns minutos, você sabe quando a outra pessoa recebeu sua transmissão telepática pelo modo como você se sente, se você está se sentindo melhor e mais feliz é um excelente sinal que sua mensagem foi recebida, em alguns casos raros, você pode se sentir exaurido e frustrado, isso acontece quando você envia amor a alguém que fechou coração dela para você.

Não procure por respostas na outra pessoa porque você pode não recebê-la, a única medida do sucesso é a maneira que você se sente ao fazer isso, normalmente se você faz esse exercício muitas vezes com a mesma pessoa, seu relacionamento vai começar a melhorar de um novo modo, mais amável eu diria.

 

Telepatia Para Iniciantes

Essa técnica é para pessoas que querem fazer telepatia, mas nunca fizeram isso antes. Essa técnica presume que você é um completo novato quase sem habilidades. Você pode usar essa técnica para contatar alguém que conheceu no passado para encontrar com a pessoa de novo e é claro que você pode usar para contatar qualquer um.

Se você tem uma vida desordenada, assiste muita TV, joga muito videogame e ouve música alta, tire uma hora para digerir tudo isso, vá caminhar num parque e então volte para a técnica.

Trabalho de preparação:

Pela manhã, preste atenção em como se sente. Tome nota disso. Este é seu nível base de sentimento.

Técnica:

1.       Faça cinco minutos de alongamento, estique todos os grupos de músculos.

2.       Faça dez minutos de respiração nasal.

3.       Deite ou sente-se ereto, relaxe, feche seus olhos e conte de 100 a 1. Imagine cada número em seu olho mental, respirando-os. Agora, você deve ter o estado mental apropriado para fazer a comunicação. Preste atenção em como se sente. Como você se sente? Isso é muito importante.

4.       Imagine-se num lugar calmo, pode ser uma praia, uma montanha, perto de um lago, uma floresta, um parque, um deserto, qualquer lugar que você ache que seja pacifico e calmo. Caminhe no local, não force a imagem, deixe aparecer por si só.

5.       Imagine a pessoa que você quer contatar na sua frente. Tente conseguir o máximo de detalhes. Preste atenção em seus sentimentos, você pode já estar recebendo impressões. Iniciantes normalmente registram a impressão na forma de sentimentos no plexo solar.

6.       Aqui há três possibilidades:

A.       Conversar com essa pessoa longamente. Como se sente? Se se sente exaurido, e é difícil de manter a conversa, sente que não é adequado então significa que ou a pessoa não está disponível para você ou você está recebendo impressões negativas dessa pessoa. Se parece confortável e você consegue conversar interminavelmente significa que as coisas estão indo bem. Um sinal do sucesso é a conversa muito fácil de manter que você até se perde no papo.

B.      Construa um enredo, o enredo pode ser tão longo quanto meia hora. Por exemplo, imagine você e essa pessoa caminhando ou visitando algum lugar. Se você pode fazer isso sem esforço isso é um bom sinal. Se você se sente exaurido ou desconfortável então há um problema.

C.      Vá até essa pessoa, preste atenção aos seus sentimentos e então comece a conversar com essa pessoa. Preste uma atenção especial aos seus sentimentos, compare-os com seu sentimento base da manhã. Você pode estar recebendo uma transmissão. Você não tem que se concentrar num comando, como “vem aqui” ou acolá. Apenas tenha a vontade de enviar impressões positivas. Continue a transmitir até se cansar.

D.      Termine a sessão e deixe-a completamente, esqueça. Esse é o passo mais importante.

 Teoria:

Quando você se conecta dessa maneira você está enviando energia e impressões positivas. Se você fizer corretamente a pessoa irá gostar de sua energia e impressão. Quando você deixa isso de lado e esquece, a pessoa não irá mais sentir a energia e irá querer conectar-se. Isso causa a atração e faz a pessoa querer encontrar com você.

Troubleshooting(Localização de Defeitos):

Alguns problemas podem aparecer, se você não consegue relaxar e se concentrar. Nesse caso, é melhor você aprender isso primeiro.

Você se conecta, mas se sente muito mal e triste. Isso não é nada bom. Mande para essa pessoa seu amor e termine a transmissão. Nesse ponto, você não é hábil o suficiente para entender o que está acontecendo. É melhor não bagunçar as coisas.

Fonte: http://anjodeluz.net/aprendendo_telepatia.htm

 

Anúncios

Psicometria

A psicometria é a capacidade de pesquisar um objeto qualquer, uma carta, uma joia, uma antiguidade, a sondar todas as circunstâncias que o cercam, no presente, no passado ou no futuro. Essa capacidade é conseqüência dos sentidos astrais desenvolvidos e é bastante fácil de colocar em prática.

O mago pega na mão o objeto a ser pesquisado ou coloca-o num local do corpo adequado a uma pesquisa mais minuciosa. Se ele quiser ver as circunstâncias em imagens, pesquisá-las visualmente, deverá prensar o objeto contra a testa; se quiser vê-las inspirativamente, auditivamente, deverá colocá-lo na região do coração, a caso ele queira sondá-lo sensorialmente ou intuitivamente deverá colocá-lo no plexo solar, ou simplesmente segurá-lo em sua mão. Depois de concentrar-se no que ele pretende saber sobre o objeto, o mago deverá transpor-se ao transe, a ler, com seus olhos, ouvidos ou tato espirituais as diversas circunstâncias do presente, passado e futuro, que cercam o objeto.

O mago poderá também usar o seu espelho mágico como meio auxiliar. Desse modo ele poderá ver, por exemplo, desenrolar diante de si, como num filme ou num panorama, todas as circunstâncias ligadas ao objeto a descobrir tudo o que se relaciona a ele. Naturalmente ele também tem a possibilidade de ver o remetente, além de poder ler os pensamentos do seu espírito, em qualquer escrito destinado ao próprio mago ou a outras pessoas, enviado por conhecidos ou estranhos. Em poucas palavras, ele pode ler nas entrelinhas de qualquer carta.

A psicometria também inclui a capacidade de entrar em contato físico, anímico ou espiritual com qualquer pessoa que já entrou em contato com aquele objeto, pois um objeto de qualquer natureza é o meio de ligação entre o corpo, a alma e o espírito do mago e a pessoa em questão. É óbvio que com a ajuda de um objeto o mago também conseguirá ler os pensamentos a uma grande distância. Ao mesmo tempo lhe é possível conhecer a alma da pessoa a descobrir, sem esforço, as particularidades de seu caráter e o estágio de desenvolvimento de sua alma. O mesmo vale naturalmente também para o lado material, onde ele poderá descobrir o presente, passado a futuro da pessoa, ao estabelecer o elo de ligação entre a sua própria alma e a pessoa em questão.

Uma pequena variante da psicometria é a psicografia. Mas ela não é muito relevante para o mago, a surge por si só a partir do que foi dito há pouco. Além de possibilitar a pesquisa e a identificação do remetente de uma carta através do elo de ligação, em todos os aspectos a detalhes, o objeto pode servir também para promover a ligação com a pessoa em questão a eventualmente influenciá-la espiritual, anímica a corporalmente. Podemos concluir então que a psicometria é uma capacidade menor derivada da nossa já conhecida clarividência.

Viagem astral

 Experiências extra corpo; a ciência entra em ação!

A EFC ou Experiência Fora do Corpo é um fenômeno que ocorre quando a consciência deixa temporariamente o corpo físico e se manifesta em uma dimensão, plano ou realidade transcendente, extrafísica.   Consciência, nesse sentido, é aquilo que anima nosso corpo. É a alma, o espírito, o self, o ego de uma pessoa. A consciência pode se manifestar de três formas:  Intrafísica: Quando possui um corpo físico;

 Extrafísica: Quando não possui corpo físico;

 Projetada: Quando possui um corpo físico e, momentaneamente, afasta‐se dele na condição de projetor.

Para a maioria das pessoas, o fenômeno da EFC não passa de um tipo de sonho diferente ou algum tipo de alucinação, quando não mera charlatanice, elaborada para entreter ou enganar pessoas incautas. O estudo do fenômeno permite entender e comprovar que ele é real e natural, podendo ocorrer de forma espontânea ou proposital, acessível a qualquer pessoa interessada.   As EFCs demonstram que o mundo físico corresponde a apenas uma parcela mínima de uma realidade maior da qual fazemos parte. O que acontece durante uma EFC A forma como acontecem EFCs varia muito de pessoa para pessoa. Não obstante, a análise de milhares de relatos demonstra que a experiência ocorre basicamente de duas maneiras: espontânea ou proposital. Quando a EFC ocorre espontaneamente, a pessoa torna‐se subitamente consciente de estar fora do seu corpo físico, normalmente observando‐o de um ponto acima dele e com nítida impressão sobre a realidade do ambiente ao seu redor. Ela pode despertar também a certa distância do corpo físico e não o perceber em momento algum. Nesse caso, a percepção de que se está fora do corpo vem de outras sensações, pois o veículo que ela usa durante a EFC é muito diferente do corpo físico: flutua, é semitransparente, irradia luz, desloca‐se a distâncias imensas de forma praticamente instantânea. 

Frequentemente, quando a EFC é proposital, sendo deliberadamente provocada pela aplicação de uma técnica projetiva, a pessoa percebe a saída do corpo físico e depois passa a vê‐lo de um ponto deslocado ou afasta‐se para algum local distante dele.   Quando o projetor está próximo de seu corpo físico, talvez perceba um fino cordão luminoso, o cordão de prata, que o conecta a esse corpo. Nessa condição, também se percebe que a matéria extrafísica é maleável à força do pensamento; não é preciso luz convencional para enxergar e, muitas vezes, a lucidez oscila, motivo pelo qual muitas pessoas pensam que estão sonhando. Fora do corpo, as leis físicas são diferentes. Pode‐se ir rapidamente a qualquer local do planeta e além dele. Pode‐se visitar distritos puramente extrafísicos e entrar em contato com outras consciências.

Encontros com outras consciências

Durante uma EFC, é comum encontrar‐se com outras consciências que podem ser intrafísicas, também projetadas, ou extrafísicas, que não possuem, no momento, corpos físicos.   O grau de lucidez e a aparência dessas consciências variam muito. Consciências intrafísicas projetadas muitas vezes agem como sonâmbulos, pois apresentam um nível de lucidez extrafísica muito baixo. Consciências extrafísicas podem ser, dependendo das intencionalidades, indiferentes ao projetor ou não. Pode‐se encontrar, por exemplo, com entes queridos que já faleceram ou com consciências que estão prestes a renascer na dimensão intrafísica.   É comum o projetor perceber a presença de amparadores extrafísicos, consciências benévolas que monitoram e acompanham suas EFCs lúcidas, podendo interferir no desenrolar de sua experiência sempre que necessário, por exemplo, resguardando o projetor das interferências de consciências extrafísicas doentias, caso ele não possa lidar com elas sozinho. Denominações para a EFC A EFC é um fenômeno universal, que independe de condição social, política, econômica, cultural, religiosa, filosófica, raça, idade ou sexo. As EFCs recebem inúmeras denominações ao longo do tempo, sendo as mais conhecidas:

 Arrebatamento: Igrejas cristãs;

 Desdobramento: Espíritas brasileiros;

 Keshara: Sânscrito, empregado pelos hindus;

 OBE: Out‐of‐Body Experience, comum na língua inglesa;

 Projeção Astral: O termo mais comum na Internet;

 Projeção da Consciência: Projeciologia;

 Sonho Lúcido: Psiquiatria e neurologia;

 Viagem Astral: Empregado no meio esotérico.

Apesar dos termos terem surgido há relativamente pouco tempo, a EFC é um fenômeno conhecido desde a antiguidade. Somente nas últimas décadas, principalmente após o advento da Internet, é que o conhecimento sobre esse fenômeno se popularizou.

Causas das EFCs

A consciência possui, além do corpo físico, outros mais, constituídos de matéria sutil, extrafísica. Quando o corpo físico adormece ou fica muito relaxado, ou, ainda, incapacitado devido a um trauma ou um estado de coma, por exemplo, os laços energéticos que unem os corpos extrafísicos ao corpo físico se distendem e a consciência se transfere do corpo físico para um corpo mais sutil, produzindo assim a EFC. Além do sono, que é situação mais comum para ocorrência de EFCs, outras circunstâncias que levam sua produção são:

 A meditação profunda;

 A profunda debilidade do corpo físico provocada por doença, privação de água, comida ou ar;  A dor insuportável surgida durante ferimentos em acidentes;

 A experiência de quase morte – EQM;

 A ingestão de drogas psicoativas;

 A atuação de assistentes intrafísicos ou extrafísicos;

 A prática de uma técnica projetiva.

Todas as pessoas têm, sem saber,   EFCs inconscientes quando dormem

Tipos de EFCs

As EFCs variam muito de pessoa para pessoa. Uma EFC nunca é igual a outra. Dois aspectos que variam muito e são determinantes para as experiências são a lucidez e a rememoração. Quanto à lucidez, as EFCs podem ser: Inconscientes: A pessoa sai do corpo, mas não tem lucidez sobre o fato. Semiconscientes: Quando sai do corpo, a lucidez é reduzida, levando a pessoa a misturar sonhos (produção mental inconsciente) com a realidade extrafísica que percebe. Conscientes: A lucidez é quase igual à que a pessoa tem durante a vigília, às vezes até superior.

Quanto à rememoração, as EFCs podem ser:

– Integralmente rememoradas: a pessoa lembra‐se de todos os eventos que vivenciou durante a EFC.

– Parcialmente rememoradas: alguns eventos vivenciados durante EFC são lembrados pela pessoa enquanto outros são esquecidos.  

– Não rememoradas: a pessoa não lembra nada ao despertar. Quando muito, fica com a vaga intuição de que algo diferente aconteceu durante o sono.

O conhecimento sobre as EFCs As EFCs conscientes são conhecidas desde a mais remota antiguidade, sempre por um número restrito de pessoas. Atualmente, apenas 14% das pessoas, de um modo geral, tiveram EFCs conscientes, sendo que boa parte delas teve a experiência apenas uma vez na vida. Contudo, nos últimos anos, com a massificação da comunicação por meio da Internet, pode‐se encontrar imensa quantidade de relatos de pessoas que vivenciaram EFCs, assim como milhares de artigos e centenas de livros sobre o assunto escritos por pesquisadores, muitos deles baseados em pesquisas sérias realizadas inclusive no meio acadêmico. Apesar da grande diversidade de experiências que podem ocorrer durante as EFCs, a base de conhecimentos já existente permite a qualquer pessoa inteirar‐se sobre seus principais aspectos em um nível de detalhes que, quando buscado, faculta um profundo entendimento sobre o assunto. Não é o que faz a maioria das pessoas.  Mesmo tendo EFCs, em geral elas não se dedicam a estudar o fenômeno, permanecendo na superficialidade do conhecimento, o que leva a uma série de erros e mistificações quanto ao seu entendimento, suas possibilidades e implicações. EFCs, sonhos e alucinações Quando estamos despertos e lúcidos, chamamos essa condição de vigília. Se uma pessoa não está na vigília, diz‐se que ela encontra‐se em um estado diferenciado de consciência. São estados diferenciados de consciência, dentre outros, o sono, o sonho, o pesadelo e a própria EFC. Muitos creem que a EFC é um sonho, ainda que diferente, mas não é esse o caso. O sonho é caracterizado pela confusão, desordem dos pensamentos, sentimentos e das emoções, ausência de uma ordem cronológica clara dos eventos e predomínio da linguagem simbólica, típica do subconsciente humano. A EFC é caracterizada pela lucidez da consciência quanto à sua condição. Ela sabe que está fora do corpo físico, muitas vezes percebendo sua saída dele. Os eventos sucedem de forma lógica e cronológica. Pode‐se raciocinar com toda a clareza de forma até superior à capacidade normal da vigília. Alguns creem que as EFCs são alucinações, algum tipo de distúrbio neurológico que deve ser tratado com psicotrópicos, existindo inclusive pesquisadores que se dedicam a demonstrar como os sentidos podem ser confundidos ao ponto de gerarem a falsa ideia de que se está fora do corpo físico. Essas pessoas ignoram que as EFCs podem ser comprovadas.

Riscos das EFCs

Riscos fantasiosos: Pessoas que nunca tiveram experiências projetivas e que jamais se dedicaram a estudar o assunto enumeram uma série de riscos, sem fundamentos, para quem se atrever a produzir suas próprias EFCs:

 O projetor se tornaria, obrigatoriamente, uma pessoa desequilibrada;  

 O projetor poderia se perder e não poderia mais voltar ao corpo físico;

 O corpo físico do projetor poderia ser invadido por outra consciência;

 A EFC poderia levar o projetor à morte.

Uma rápida pesquisa na literatura sobre EFCs, que conta com milhares de obras escritas em vários países desde o início do século XIX, demonstrará que não existem fatos que corroborem esses supostos riscos. Riscos reais: Existem pessoas que pregam o uso das EFCs a fim de promover aventuras, para “diversão extrafísica” onde “tudo é permitido”, tal como, por exemplo, ter inúmeros relacionamentos sexuais. Os projetores motivados por essas intenções serão vítimas de assédios interconscienciais promovidos por consciência extrafísicas doentias cuja intenção é a vampirização energética. Outros tipos de assédios podem surgir para projetores cuja motivação seja a espionagem de pessoas e instituições a fim de obter algum tipo de informação sigilosa. Por fim, existe o risco do deslumbramento com as EFCs. Se a pessoa começar a se alienar da vida intrafísica devido às EFCs, não raro, as experiências vão cessar por interferência de amparadores extrafísicos.

Utilidades das EFCs

A seguir são apresentados 10 dos principais benefícios das EFCs selecionados dentre os mais frequentemente relatados por pessoas que desenvolveram a capacidade de promover por si mesmas essas experiências.

1. Conscientizar‐se de que existe uma “realidade” maior;  

2. Adquirir uma nova atitude com relação à vida após a morte;

3. Promover mudanças positivas em sua vida (evoluir);

4. Perceber que possuímos um círculo de relações muito maior;

5. Aumentar o respeito pela vida, por todas as outras consciências;  

6. Aumentar o conhecimento sobre si mesmo;

7. Assistir outras consciências, intrafísicas e extrafísicas;

8. Visitar locais ou pessoas distantes ou inacessíveis (falecidas);

9. Verificar, por si próprio, o que é fato e o que é fantasia;

10. Descobrir quem somos, de onde viemos e para onde vamos.

Técnicas projetivas EFCs espontâneas são eventos relativamente raros para a maioria das pessoas. A pessoa que deseja ter mais EFCs pode, entretanto, aplicar técnicas projetivas, que são procedimentos psicológicos, fisiológicos ou energéticos que potencializam certos desempenhos conscienciais, possibilitando a obtenção deliberada das EFCs. Centenas de técnicas projetivas foram criadas ao longo do tempo. As técnicas aumentam a probabilidade, mas nenhuma delas garante o sucesso na produção de uma EFC. Algumas pessoas podem ter sucesso empregando algumas técnicas e outras podem ter sucesso com técnicas diferentes. Faz‐se necessário, portanto, a experimentação, a autopesquisa. Existem técnicas bastante simples e inofensivas e outras radicais que se baseiam, por exemplo, em hipnose e ingestão de produtos alucinógenos. Essas técnicas radicais têm vários efeitos colaterais e não são recomendáveis. Finalmente, nada impede que a pessoa interessada descubra ou crie suas próprias técnicas projetivas.

Duas técnicas para começar rapidamente de forma segura

Antes de começar a realizar experimentos projetivos, é fortemente recomendável que a pessoa obtenha a maior quantidade possível de informações sobre as EFCs e seus diversos aspectos, seja por meio de leitura, seja por meio de um curso sobre esse assunto. Isso vai prepará‐la para lidar com as inúmeras situações novas que vai experimentar. Dentre todas as técnicas projetivas conhecidas, as duas mais simples, que podem ser praticadas isoladas ou conjuntamente, são:

(1) Antes de dormir, posicionar o corpo em decúbito dorsal (a posição supina, o popular “de barriga para cima”) com os braços e pernas soltas até o sono se instalar.

(2) Antes de dormir, programar‐se para ter uma EFC, simplesmente repetindo mentalmente algumas vezes a frase “vou ter uma projeção” ou “vou sair do corpo” e deixar o sono se instalar. Dificuldades iniciais Os projetores iniciantes se deparam com várias dificuldades quando começam a promover suas próprias EFCs, tais como:

 O medo de se projetar;

 Preconceitos de origem religiosa, mística ou mesmo científica;

 A ansiedade;

 A dificuldade de relaxar o corpo;

 O ambiente, muitas vezes inapropriado para os experimentos devido a temperatura, ruído e outros fatores ambientais;

 O desconhecimento sobre as manifestações energéticas da consciência que afetam vários aspectos das EFCs;

 A falta de um estudo sério sobre o assunto.

TRECHOS DO LIVRO: Experiências fora do corpo: Guia para iniciantes

Telecinese

EXERCÍCIO DE FOCO

Para praticar Telecinese, você deve primeiramente aprender a focar sua atenção em uma coisa, e somente uma. Para fazer isso, feche seus olhos e respire naturalmente através de seu nariz; comece contando do 1, e, ao inalar, suba um número. Um exemplo disso é: inale, 1, exale; inale, 2, exale; inale, 3, exale. Continue fazendo isso até que você tenha alcançado um número final que você tenha escolhido.

 

TÉCNICA DA RESPIRAÇÃO ENERGÉTICA

Uma vez que o foco tenha sido exercitado, e possa ser atingido facilmente, então você deve desenvolver sua energia mental, com a respiração energética. Inale através do seu nariz e imagine juntar luz de sua cor favorita, como se a cor passasse através do seu nariz, deixe ela deslizar pela sua garganta indo até seu estômago, onde se concentrará em seu centro energético. Uma vez que você inalou e trouxe essa cor até seu estômago você deve exalá-la, mas quando o fizer, exale somente “cores sujas”. Continue fazendo isso até que você se sinta refrescado. Quando a respiração energética acabar, então você pode passar para os

exercícios de Telecinese. Alguns exemplos estão abaixo, mas não são limitados a eles:

 

CHAMA DE VELA DANÇANTE

Esta é uma técnica bem básica:

Acenda uma vela. Relaxe e foque-se na chama da vela. Imagine que você está se fundindo à chama da vela, se tornando esta chama, SENDO essa chama. O que você está realmente fazendo é fundindo seu campo energético com o campo energético da vela.

Em termos de PLN, focando-se à vela e entrando em sintonia com a vela, você está controlando a vela, direcionando a chama para movê-la para onde você quiser, você está conduzindo ela.

Quando você sentir que você estabeleceu uma concordância boa o suficiente com a vela, imagine a sua chama se estendendo e se tornando mais longa. Quando você tiver sucesso nisso, então imagine ela encolhendo de volta, se tornando menor e menor; então a entorte para o lado, etc.

Quando você terminar de experimentar, imagine você retornando de volta para seu estado mental normal, “emergindo” da chama da vela.

 

PÊNDULO

Esta é outra técnica básica. Você pode comprar um pêndulo ou fazê-lo (simplesmente prenda um objeto pequeno como um anel, palito, a uma corda). Você pode segurá-lo em sua mão, no entanto, desta forma você deverá mandar impulsos inconscientes através da sua mão, então é melhor se você tiver um pêndulo suspenso em sua frente (você pode prendê-lo a um pequeno apoio como aqueles para lâmpadas).

Assim como no exercício anterior, com a vela, foque-se no objeto até sentir que você criou uma sensação de “unidade” com o objeto, e então imagine movendo-o para trás, e para a frente, no sentido horário e anti-horário, etc.

Há outras técnicas as quais eu talvez poste depois, que envolvem acumulação de energia (ki, chi), e a projeção dela para empurrar o objeto. Isto requer mais prática.

E, ainda restam outras técnicas mais esotéricas/ocultas, para fazer objetos desaparecerem/reaparecerem em locais remotos.

 

MOVENDO OBJETOS PEQUENOS

Escolha um objeto leve, de pequeno peso, e posicione-o na mesa em sua frente. Relaxe, limpe sua mente completamente e foque-se no objeto.

Visualize um túnel entre você e o objeto. A única coisa que deveria estar presente em sua consciência é o túnel e o objeto no fim do túnel.

Agora imagine suas “mãos mentais” saindo e puxando o objeto. Uma vez que você sentiu a puxada, você talvez possa querer fazer sons em sua mente que sugiram um forte campo magnético. Isto pode soar ridículo, mas funciona!

 

MÉTODOS

Método 1 – Parede Telecinética

Sente-se e olhe fixamente para o objeto que você deseja mover. Agora, com qualquer tipo de energia, comece a fazer uma parede de energia em sua frente.

Quando a parede estiver terminada, visualize-a como se fosse uma parede de vidro. Coloque suas mãos em sua frente e atire um pouco de ki (chi) para empurrar a parede.

Mande a parede colidir com o objeto. Com alguma sorte, o item irá mover-se um pouco. Comece com alguma coisa pequena como um anel de plástico barato.

 

Método 2 – Força de Vontade

Mais uma vez, fique em um estado relaxado em frente ao item. Feche seus olhos e se torne familiar com a energia naquela sala.

Com seus olhos ainda fechados, visualize o objeto começando lentamente a se mover. Relembre o evento várias vezes em sua mente. Abra seus olhos e veja se houve algum efeito.

Se não houve, então talvez você não tenha posto tempo suficiente no exercício, ou então não tenha meditado o suficiente ter limpado a mente.

 

Método 3 – Mão Mental

Feche seus olhos e relaxe em frente ao objeto Foque-se na sua aura. Visualize uma mão saindo de seu cérebro. Conforme ela sai, sai também sua aura. Lentamente, guie a mão em direção ao objeto.

Guie a mão como você faria com qualquer outra. Deixe-a pegar o objeto.

Faça-a segurar apertado. Agora lentamente empurre/puxe o objeto. Se sua concentração é boa o suficiente, você pode até tentar pegar o item e tentar flutuá-lo.

 

EXERCÍCIOS

 

Entortamento de Colher:

Meditação necessária antes de realizar: 5-10 min Pegue uma colher e segure-a em sua mão dominante,

Segure-a de forma que seu dedão esteja posicionado contra o cabo bem abaixo da cabeça da colher, e os outros 4 dedos posicionados atrás dela.

Feche seus olhos e sinta a energia saindo de seu redor. Feche seus olhos. Comece a esfregar seu dedão para cima e para baixo na colher. Depois de um minuto, a colher começará a ficar quente. Na sua mente, visualize o dedão e a colher se fundindo em um só.

Neste ponto, seu dedão deverá ser a colher, e a colher parte de sua mão (em sua mente). Agora entorte a colher como se você entortaria seu dedo. Abra seus olhos e veja se você teve sucesso.

 

Objeto Suspenso:

Pegue um pequeno objeto e amarre-o numa corda. Segure o objeto pela ponta da corda de modo que o objeto fique oscilando. Agora visualize o objeto girando em círculos. NÃO MOVA SUAS MÃOS! O objeto

deverá rodar num movimento circular. Esta é uma excelente técnica para desenvolver força de vontade.

 

Aerocinese (controle sobre o vento):

Invocação do vento: Sente-se numa posição confortável com suas mãos na cintura. Se você puder, tente entrar num estado de meditação se quiser um efeito maior.

Agora visualize o poder dos quatro ventos: norte, sul, leste e oeste. Imagine eles sendo amarrados a “fios” em suas mãos de modo que você consiga movê-los como quiser. Neste ponto, com os fios em mente, comece lentamente a elevar suas mãos. Isto deverá fazer os ventos subirem.

 

 

Técnica de Telecinese por Visualização

 

TÉCNICA DOS FIOS DE ENERGIA

Olá. Esta técnica foi retirada de um livro, e é de visualização. Consiste no seguinte:

 

1º passo: Ao respirar, imagine milhões de esferas pequenas de energia entrando por suas narinas. Logo chegam ao estômago, sobem até a caixa torácica e, ao exalar, passam para suas mãos, através dos braços.

Depois de alguns minutos assim, deverá sentir um calor nas suas mãos e um pouco de cócegas. Se não estiver sentindo nada, continue com a técnica.

É bom recordar que as pessoas iniciadas em Reiki têm seus chakras bem desenvolvidos, já que muita energia passa pelo nosso corpo.

 

2º passo: Ponha suas mãos abertas a 15cm do objeto. Uma rolha pequena (0,5 a 1cm) é o ideal para iniciantes. Com esta técnica, pode-se mover coisas grandes. O que importa não é o tamanho do objeto,

e sim a energia que o envolve.

 

3º passo: Agora, tente vizualisar fios de cores azul e violeta, que saem das suas mãos e envolvem fortemente o objeto. Às vezes, é preciso semanas para poder ver realmente esta energia. Você também pode visualizá-las como raios, mas que não acabam, que, ao chegar no objeto, fiquem grudados e que sejam muito brilhantes.

 

4º passo: Depois de algumas semanas de prática, apenas mova suas mãos e objeto se moverá como uma marionete.

 

Técnicas Simples de Telecinese

DICAS E TÉCNICAS PARA A PRÁTICA DE TELECINESE

 

Dica 1: Empurre e puxe o objeto por dentro de seu ser, ao invés de só fazê-lo em sua mente ou através de seu corpo. Isto significa que seu “eu” deve estar se movendo inteiramente junto com o objeto, ao invés de querer movê-lo somente com sua mente ou com sua energia. E você nunca deve mover o objeto com seu eu físico, não importa o que tenha ouvido sobre isto.

 

Dica 2: Energia Emocional adiciona uma potência extra às suas habilidades télecinéticas. Emoções como amor, felicidade e desejo funcionam muito bem, visto que não causam danos negativos à seus interiores; porém emoções como ódio e raiva também funcionam, só não fique acostumado à elas ou você não terá uma vida muito longa e saudável, como você possa vir a esperar.

 

INICIANTE

Técnica 1 – Psi-Wheel:

 

Psi-Wheel é um pedaço quadrado de papel dobrado, se assemelhando a uma pirâmide; ela é

balanceada no seu centro, que é suspenso a alguns centímetros da superfície de treino. Esta

técnica é boa para girar e virar um objeto que está suspenso no ar. Então pratique com este

o quanto puder, sempre que for conveniente.

 

AVANÇADO

Técnica 2 – Erguendo um objeto no ar: Não estou certo como por isto em palavras, mas, por favor, me agüentem um pouco ok. Pegue um objeto que pese 1 libra ou 1 grama, qualquer um dos dois. Isto irá desenvolver sua força telecinética para levantar objetos pesados, assim como fisiculturistas fazem com seus corpos. Para levantar um objeto, você deve sentir como se ele não tivesse peso, somente energia, e energia pode ser movida por você, já que você também é energia. Isto irá levar tanto tempo quanto for necessário para levantá-lo, pois depende da sua força mental-corporal. Uma arte marcial irá ajudá-lo,

acredito, em criar esse link entre corpo e mente, então esta técnica iria se tornar mais fácil e rápida de ser feita. A experiência mais comum é erguer um peso de 1libra e ao tentar levantar um de 2libras, falhar. Portanto não fique desencorajado com esta técnica, pois ela leva um longo tempo para ser feita corretamente. “Como o corpo, como a mente” é um bom modo de expressar isto.

 

 

Telecinese Por Visualização

 

Esta técnica circula por muitos sites, e acho que não funcionou para muitas pessoas. Mas,

bem, nunca se sabe.

 

INICIANTE: MOVENDO OBJETOS PEQUENOS

Vamos começar com um exercício suave.

 

1º passo: Pegue um objeto pequeno, como um anel ou lápis e vá para um lugar tranquilo. Limpe sua mente e concentre-se no objeto.

 

2º passo: Quando sentir que está preparado, construa uma espécie de túnel entre o objeto e

você. Esta visualização te ajudará a manter o foco apenas no objeto.

 

3º passo: Agora, imagine que suas mãos estão movendo o objeto usando o magnetismo humano. Quando sentir o impulso, imagine ruídos que tragam a ilusão de magnetismo.

Provavelmente este exercício não funcionará na primeira vez, portanto, volte a tentar até obter resultados.

 

AVANÇADO: DOBRANDO OBJETOS COM A MENTE

 

1º passo: Pegue um utensílio doméstico como uma colher ou chave, e vá para um lugar calmo. Segure o objeto com uma mão ou as duas, de uma maneira bem confortável.

 

2º passo: Sente-se e relaxe. Esvazie sua mente e concentre-se. Com os olhos fechados, comece a esfregar a superfície do objeto com a ponta dos dedos. Sinta o objeto. Faça parte do fluxo dos átomos, moléculas e energia. Talvez leve algum tempo para você dominar a prática, mas quando o fizer, você será capaz de sentir a energia. Quando puder senti-la, você e objeto estarão unidos por ela.

 

3º passo: Simplesmente dobre-o! Se fizer corretamente, ele dobrará facilmente. Não aplique força física no objeto. Não é este o objetivo do exercício.

Consciência

7058055e096d666f822ee15d9888a4b2

A consciência é o ser pensante, individual, indestrutível, real e imortal. É mais do que a energia e a matéria. É a mente não como efeito biológico, mas como causa. Nós somos consciências, assim como todos os seres autoconscientes ao nosso redor.

Conscin: É a consciência intrafísica (encarnada) que possui um corpo biológico.

Consciex: Consciência extrafísica (desencarnado) que não possui um corpo físico, já passou pela morte do corpo biológico (dessoma).

Holossoma: Conjunto dos veículos de manifestação da conscin: soma, holochacra, psicossoma e mentalsoma; e da consciex: psicossoma e mentalsoma.

Soma: é o nome técnico para o corpo humano do homem e da mulher. É o veículo de manifestação mais denso do holossoma da consciência. Por ser mais sólido, o corpo humano faz o homem e a mulher comuns, sem as noções básicas da multidimensionalidade, julgarem que eles mesmos são tão somente os seus somas, antes e acima de tudo, nada mais.

Holochacra (duplo etérico): paracorpo (para = extrafísico) energético da consciência humana. Conjunto de todos os chacras que formam o paracorpo energético da consciência encarnada. É um invólucro energético vibratório pulsante. O holochacra é uma zona intermediária pela qual passam as correntes energéticas que mantém o corpo humano vivo

Chacras: distribuídas por todo o soma, existe uma gama de ramificações nervosas constituídas de plexos e gânglios. Estes órgãos, para muitos, não possuem qualquer função biológica, na verdade estão estreitamente ligados e dirigidos pelos respectivos chacras situados no holochacra. Chacra é o núcleo ou campo limitador de energia consciencial, dentro do corpo energético da consciência (holochacra), que se reflete no corpo humano. Tem como principal função a absorção de energia do meio-ambiente para o interior do campo energético e do corpo físico.

 

Energias (fluidos)

Para sobreviver, o ser humano necessita assimilar mais do que as substâncias corriqueiramente conhecidas: alimento sólido, líquido e ar. O quarto alimento está representado pelas energias. E sabemos que a importância de um alimento varia na ordem inversa da sua densidade. Quer dizer: quanto mais rarefeito mais necessário é. Pode-se passar muitos dias e até um o dois meses sem comida, mas não se suporta além de poucos dias sem líquido (água). E seria impossível continuar a existência física sem ar (oxigênio), senão por poucos minutos. Finalmente, um indivíduo, qualquer que fosse sua idade e saúde, dessomaria (desencarnaria) instantaneamente caso lhe faltasse o quarto alimento: as energias.

 

Energia imanente (cósmica)

É a energia primária que penetra mutuamente todo o universo interdimensional. É a fonte de origem de todos os outros tipos de energia. É também uma fonte indispensável de absorção de energia para os seres vivos.

 

Bioenergias

São as energias vitais de todos os tipos de seres vivos.

 

Energia consciencial

São as bioenergias e a energia imanente absorvida pela consciência após serem qualificadas e impregnadas pelos pensamento e emoções da própria consciência. É a energia pessoal do indivíduo.

 

Psicossoma (perispírito, corpo astral)

É o paracorpo emocional da consciência. Cópia exata do corpo físico. Por ser constituído de matéria extrafísica (que vibra numa freqüência mais sutil e é infinitamente mais refinada do que a matéria física que constitui o soma) é normalmente invisível aos olhos físicos (assim como o holochacra). O psicossoma evoluciona e progride com a consciência e é tanto mais “sutil” e menos “material”, quanto mais elevado e perfeito for o indivíduo. Serve de molécula, de substrato orgânico para as novas encarnações. Condensando-se no embrião, agrupa em certa ordem as moléculas materiais e assegura o desenvolvimento normal do organismo. Sem o psicossoma, o resultado da fecundação seria um tumor informe. O psicossoma não está totalmente preso ao corpo biológico; durante o sono, os laços energéticos que mantém o psicossoma unido ao corpo se afrouxam e o psicossoma se destaca do corpo físico (é de se salientar que a consciência, no momento da exteriorização do psicossoma para fora do soma, acompanha o mesmo, não permanecendo no corpo biológico). Essa é uma das formas mais freqüentes de projeção da consciência para fora do soma (mais à frente veremos a segunda e menos freqüente forma de projeção: a projeção pelo mentalsoma). Apesar do psicossoma poder mudar de forma e aparência de acordo como a vontade e o estado mental da consciência, geralmente ele assume a mesma forma e aparência do corpo físico.

 

O cordão de prata

Os laços energéticos anteriormente citados, que mantém o psicossoma unido ao soma, são um emaranhado de filamentos energéticos interligados. Quando ocorre a projeção, esses laços energéticos que antes estavam distribuídos por todo o corpo, se reúnem e formam um só feixe de energias, acompanhando o psicossoma para onde ele for. Este feixe de energias recebe a denominação de cordão de prata.

O cordão de prata somente se rompe com o dessoma e, ao contrário do medo de alguns, ele jamais se rompe com a projeção, não importando a distância do psicossoma ao soma. Na projeção, o cordão de prata desempenha também a função de conduzir a energia vital do psicossoma para o soma e vice-versa, impedindo consequentemente o enfraquecimento de um ou ambos corpos de manifestação da consciência (psicossoma u soma).

Faixa de atividade do cordão de prata: quando acontece a projeção, o cordão de prata cria um campo vibracional que envolve todo o soma, se expandindo por 3 a 4 metros: é a faixa de atividade do cordão de prata. Dentro desse campo energético criado pelo cordão de prata, ocorrem muitos sintomas e fenômenos na projeção: tração do cordão de prata, repercussões físicas, catalepsia, ballonnement, oscilações do psicossoma, etc.). Esse campo vibracional também evita que outra consciência se “aposse” do corpo físico da conscin enquanto ela estiver projetada.

 

Mentalsoma

É a sede da consciência. Ele se localiza dentro da paracabeça (cabeça extrafísica) do psicossoma. Nesse veículo de manifestação, a consciência atua isolada, sem a forma humanóide do psicossoma integral: é a projeção em mentalsoma.

 

Com o decorrer da evolução da consciência humana, o mentalsoma se torna o seu veículo de manifestação (nesse estágio a consciência não precisa mais nem do corpo biológico, nem do psicossoma para evoluir). Nesse estágio, a consciência atingiu tal ápice evolutivo, que não possui mais emoções (oriundas do psicossoma, tais como: ódio, rancor, ciúme e paixão) mas somente sentimentos sublimes (oriundos do mentalsoma, tais como: amor universal, bondade suprema e intensa e constante paz interior) juntamente com uma forte utilização e desenvolvimento do intelecto (também oriundo do mentalsoma).

A projeção lúcida pelo mentalsoma produz o fenômeno da cosmoconsciência que ocorre quando a consciência sente a presença viva do universo e se torna una com ele, compondo temporariamente uma unidade indivisível, onde podem ocorrer comunicações interconscienciais com seres mais evoluídos.

 

Cordão de ouro

É na verdade um campo energético que une o psicossoma ao mentalsoma. Na projeção em mentalsoma, ele mantém a ligação e transmissão energética entre o mentalsoma e o psicossoma, tal qual o cordão de prata.