Agroglifos

Resultado de imagem para agroglifos

São formações geralmente encontradas nas plantações de cereais. Eles são criados pelos pleiadianos. 

Nascem por meio de uma alta frequência de luz e som e são criados com padrões sagrados, energeticamente projetados para nos ajudar neste período do novo alvorecer. Por meio de uma tecedura sagrada que os agroglifos estão fazendo, uma nova rede de circuitos de luz e vórtices energéticos está se abrindo no plano terrestre. Essa nova avenida de luz está sendo ancorada no planeta Terra para que cada um de nós tenha a oportunidade acelerada de avançar em nosso processo de iluminação neste período. A formação dessa rede energética foi feita para apoiar a mudança de nosso planeta, evoluindo para uma consciência de quarta e quinta dimensão. Os agroglifos foram feitos com o propósito de entrar  em nosso estado completamente desperto e desempenhar um papel central na profunda evolução dinâmica da Terra que está acontecendo neste período. 

Eles foram colocados estrategicamente em nosso planeta. Suas formas geométricas e multidimensionais trazem desenhos sagrados que contém conhecimentos antigos, para serem acessados e usados. Eles contém códigos de despertar para todos os seres humanos.

Existem camadas dimensionais de círculos de luz em cada agroglifo. Em cada camada existem padrões geométricos intrincados que constituem os círculos individuais. Todos os agroglifos interagem entre si e criam uma sinergia dinâmica e poderosa que faz nascer uma força de luz, a qual cria um portal por meio do qual a consciência coletiva é canalizada. 

Isso prepara o terreno para que todas as forças vitais do plano terrestre nasçam com um novo potencial de regeneração. 

A luz dos agroglifos sagrados contém um estado puro de verdade que leva o despertar do plano terrestre a novos reinos. Existem muitos projetos de configuração dimensional nos agroglifos que contém os projetos de ativação para o despertar e a transformação do ser humano. 

Os agroglifos trazem um despertar dinâmico para que nós e o plano terrestre possamos atingir todo o nosso potencial. Tudo está pronto para que eles transmitam e abram os níveis de energias dimensionais necessários para a rápida transformação da consciência no planeta Terra. 

Eles mantém os portais abertos para que nós possamos nos realinharmos com os princípios de vida. Ao serem ativados, esses princípios de vida ancoram uma nova frequência dimensional no plano terrestre. Por meio dessa frequência os agroglifos começam a desempenhar um papel significativo, criando uma série de realinhamentos com todos os sítios megalíticos no planeta. 

Resultado de imagem para sítios megalíticos

Todos os sítios megalíticos são feitos de pedra. Eles são locais sagrados como Stonehenge ou as grandes pirâmides. Parte do propósito energético dos agroglifos consiste em realinhar todos os sítios megalíticos com a forma original, pura e sagrada que tinham quando inicialmente nasceram no plano terrestre. Uma energia pura de consciência se abre  por meio de cada forma megalítica sagrada, com a finalidade de manter uma base de luz por intermédio da tecedura sagrada para apoiar a transformação que está ocorrendo conosco e com nosso planeta.

Há um elemento de geometria sagrada nesses agroglifos que está ativando os portais estelares nas grandes pirâmides do Egito. Esses portais estelares estão criando portais energéticos no plano terrestre para ajudar a ancorar circuitos dimensionais e também para funcionarem como transmissores energéticos para a ativação da nova estrutura cristalina em nós. 

Teremos muitas mudanças físicas em nosso plano terrestre e os portais estelares irão nos fornecer o equilíbrio energético enquanto estivermos passando por mudanças energéticas em nosso sistema. 

O portal estelar funciona como uma passagem para aqueles dentre nós que fizeram pré-acordos de conexão com as energias estelares. Isso nos permite atravessar o portal estelar para fazermos reconexões e comunicações sagradas, necessárias para que possamos cumprir as missões que nos foram destinadas. 

Com a ressurreição do plano terrestre, a frequência de luz no planeta aumentará, e isso produzirá uma discrepância energética entre áreas densamente povoadas da Terra e essa frequência de luz. 

Há uma nova essência de luz surgindo no planeta.Essa energia de luz está aqui para nos apoiar em nossa ressurreição.

Os vários círculos de luz sagrados dentro de cada agroglifo contém a matriz completa para as mudanças terrestres. Esses círculos de luz expandem a consciência do planeta e contém os códigos decifrados de transformações e compreensões para esse período.

Resultado de imagem para agroglifos santa catarina

Quando estivermos prontos, muitos de nós teremos acesso a esses códigos. Alguns de nós como parte de nossa missão, temos um trabalho específico a fazer na criação de vórtices energéticos e de realinhamentos por meio dos rios e das montanhas.

Cada um de nós faz parte de uma equipe divina, e como grupo, todos nós fazemos parte desse plano maior. 

Maiores informações: LIVRO – PRINCÍPIOS DE VIDA PLEIADIANOS

Anúncios

Quem são os pleiadianos

✨Pleiadian✨ We are nearby by Bill Brouard:

Por Ibiatan Upadian

Os pleiadianos são uma civilização amorosa, pacífica e altamente espiritualizada, que cultua a harmonia, a beleza e todas as formas de arte.

As Plêiades é um aglomerado de estrelas da constelação de Touro, com mais de mil estrelas, das quais sete são visíveis a olho nu e dentre estas se destaca Alcyone o sol central das Plêiades, estrela de 3ª grandeza, localizada a 425 anos-luz da Terra e em torno da qual giram as outras estrelas, cada qual com seu sistema de planetas. Alcyone tem a luminosidade equivalente a 1.400 vezes a do nosso sol, uma estrela de 5ª grandeza.

Os pleiadianos vivem em plena unicidade uns com os outros e são muito ligados a cura, a medicina natural, às forças da natureza e ao xamanismo nativo (foram eles que ensinaram aos chineses a técnica da acupuntura em torno de 4.500 A.C.).

Gregários por natureza, gostam de estar juntos.

Sua forma de expressão nunca é individual, mas grupal, pois a muito superaram a questão do ego e até mesmo seus instrumentos musicais são projetados para serem operados por várias pessoas simultaneamente.

Amáveis, delicados, muito bem humorados e extremamente criativos, eles vivem praticamente em estado de graça em seu lar planetário – afinal, estão livres dos conflitos criados pelas diferenças de opinião e de vontade, próprias da manifestação do ego.
Extasiam-se com a beleza da vida, expressam esses sentimentos por meio da arte e criam mais beleza e harmonia, vivendo assim em constante alegria e contemplação.

São muito voltados a educação e adoram se comunicar, se expressar e ensinar.

Em sua sociedade não existem leis para regular a vida em comunidade, as leis que os regem é constituída única e exclusivamente pela suas próprias consciências individuais altamente evoluídas.

Por isso lá não existe policia, prisões, sistema judiciário, político ou religioso e o planeta é administrado apenas por um conselho de sábios, composto por 12 anciões.

Eles não tem religiões, mas estão permanentemente conectados a Fonte, ao Criador Primordial, cuja vontade estão sempre buscando decifrar e seguir harmoniosamente.

Eles são muito ligados aos cristais e suas cidades são construídas de cristal com suas casas na forma de grandes pontas de cristais sextavadas (como pirâmides de seis lados), que vistas do alto se parecem com favos de uma colméia de abelhas e vistas ao nível do solo se parecem com uma drusa de cristal ou ainda com uma aldeia indígena americana, onde as casas, pelo seu formato, se parecem com grandes tabas indígenas.

Cada ser das Plêiades, seja homem ou mulher, possui em seu interior as polaridades masculinas e femininas em perfeito equilíbrio.

Eles não vivem sós, vivem sempre como casais, cada qual com seu companheiro ou companheira e nunca contatam os humanos individualmente, mas sempre em grupos, identificando-se sempre como uma coletividade (os pleiadianos), jamais ostentando cargos, funções ou posições hierárquicas e só revelando seus nomes pessoais em algumas situações excepcionais.

Quando nos encontramos com eles fora das naves mães, ou seja, nas pequenas naves de serviço, estão normalmente em três, todos vestidos de macacão azul índigo, mas quando nosso encontro com eles ocorre fora das naves estão sempre em dois (ou mais), ambos vestidos de uma túnica branca tipo romana ou grega, sendo que o terceiro sempre fica na nave, que é constituída de pura energia e uma extensão da energia de seu próprio corpo de luz, sendo que ele não a pilota usando instrumentos, mas apenas as energias de suas mãos sobre um painel existente numa espécie de console.

Suas naves não são tecnológicas, são energéticas e por fora parecem pequenas, mas quando entramos nelas percebemos que são enormes e a medida que andamos pelo seu interior elas vão se expandindo e a nossa frente vão se formando sempre novas salas, corredores e portas antes inexistentes.

Há muitas almas originárias das Plêiades encarnadas na Terra – elas constituem a segunda raça extraterrestre mais presente por aqui.

Na verdade eles não são propriamente extraterrestres, mas sim “ultraterrestres”, ou seres interdimensionais, pois tem a faculdade de viajar no tempo, no espaço e entre as diferentes dimensões.

Vêm buscar, na terceira dimensão, a experiência do concreto, algo que o adiantado estado de sua civilização não pode lhes proporcionar, pois na dimensão em que vivem são pura luz, pura energia.

O que o pleiadiano tem de facilidade para criar e implantar suas idéias, tem de dificuldade para administrar uma longa rotina de execução do projeto no dia a dia e levar as coisas até o fim.

Aqui, na densidade da Terra, é que ele aprende a necessidade de plantar e cuidar para colher; que percebe a relação de causa e conseqüência dos mundos materiais.

Em sua estrela de origem, extremamente sutil, é muito difícil ter essa percepção.

Assim, a matéria densa da 3ª dimensão com seus limites torna-se a matéria prima essencial para que possam moldar e materializar suas idéias e desta forma experenciar e desenvolver integralmente toda a sua capacidade criativa.

Até para encarnar na Terra, os pleiadianos nunca vêm sozinhos, mas em grupo, e acabam sendo atraídos para o ofício das artes, como a música, a poesia, pintura, escultura, artesanato, etc. e para os trabalhos comunitários ou outros do gênero em que possam empregar seus talentos criativos e terapêuticos.

Eles são seres simples, descomplicados, despojados e buscam sempre na simplicidade e criatividade encontrar a essência e as respostas para todas as coisas. São gentis, fazem amigos com facilidade e adoram estar com crianças, sendo os responsáveis pelo projeto de preparação e envio de crianças índigos, cristais, diamantes, etc. ao planeta, a maioria delas espíritos de origem pleiadiana.

Muitos tornam-se bons terapeutas holísticos, psicólogos, professores e administradores de recursos humanos, pois, movidos pelo seu sentimento de fraternidade e solidariedade, gostam de contribuir e de ver os outros crescerem.

É pela harmonia dos sons, das emoções e do amor incondicional que os pleiadianos podem conectar-se conosco por meio dos chacras do plexo solar e principalmente do cardíaco.

São seres solares que vivem na terceira estrela das Plêiades, chamada por eles de Aracelis (que em latim quer dizer “Altar dos Céus”), numa civilização de 8ª dimensão, que vibra na frequência do numero 8 e tem este numero e a laminiscata como seus símbolos.

Estão aqui neste momento do nosso espaço-tempo, a convite da Confederação Intergaláctica e representando companheiros que brevemente também deverão estar a serviço em nosso planeta (as crianças arco-íris).

É muito interessante para todos eles a possibilidade de servir nesse imenso laboratório que é o nosso planeta Terra.

Todas as civilizações confederadas, de uma forma ou de outra, ostensiva ou não ostensiva, se encontram aqui em diversas missões de ajuda diferentes, cada qual dentro da sua especialidade.

Suas diferenças ambientais e físicas são tão grandes como as diferenças entre os diversos reinos de nosso planeta, como se eu fosse do reino animal, você do reino mineral, e ele do reino vegetal…

As leis naturais básicas existentes para cada um, necessárias para sua sobrevivência e existência, são muito diversas.

Por isso, precisam de padronizações medianas e adaptações a certas formas e estruturas que a Confederação lhes impõe para que possam se manifestar de forma coerente entre todos nós.

No caso dos pleiadianos eles se apresentam normalmente aos humanos como seres altos, rosto belo de traços bem delineados, cabelos compridos e escorridos loiros/prateados, testa alta e arredondada (como uma espécie de pequena calvície) e olhos azuis brilhantes, como se fossem duas luzes intensas, mas na sua forma original eles tem no lugar dos cabelos penas, ou seja penugens de pássaros na cor dourada e o crânio é levemente alongado para trás e para cima.

Assim os Pleiadianos estão nos trazendo muitas informações a respeito de sua civilização, os pleiadianos realmente se interessam e se comovem com o mundo da sensibilidade e das emoções humanas.

São pacifistas e não possuem qualquer indício de uma força armada porque não necessitam do uso da força para se imporem.

A sua beleza, graça, suavidade e inteligência fazem com que seja muito fácil para eles terem contato com as civilizações e/ou seres mais sensitivos e avançados espiritualmente.

Eles são seres muito íntegros, que tem um desenvolvido senso de liberdade e um profundo respeito pela liberdade, auto-expressão e livre arbítrio dos outros seres.

Seus ancestrais são seres pássaros, de onde surgiu a figura clássica dos anjos com asas, usadas por nossas religiões; eles são seres solares, mestres geneticistas ou Elohim, que participaram diretamente da criação da humanidade e de todas as formas de vida na Terra.

A muito tempo atrás estes ancestrais migraram de um universo paralelo, que estava em fase de conclusão de seu processo de evolução, para Alcyone, onde ainda vivem diretamente integrados às Hierarquias Celestes, na 18ª dimensão, como membros do Conselho da Galáxia.

A Humanidade possui material genético desses ancestrais pleiadianos, que são os Elohin ou seres pássaros, por isso estes Pleiadianos que hoje estão em contato conosco são considerados nossos irmãos mais velhos.

Dos seres humanos atualmente existentes na Terra a raça que tem o DNA mais puro e próximo dos seres humanos originais criados pelos ancestrais Pleiadianos, são os indígenas, que são os remanescentes diretos dos lemurianos, da 3ª Raça Raiz da Terra.

Embora os nibiruanos (que são seres da 4ª dimensão) se digam pleiadianos, os pleiadianos e os nibiruanos não são os mesmos seres.

Os nibiruanos na verdade foram também criados pelos ancestrais Pleiadianos, com 50% de DNA dos seres pássaros e 50% de DNA dos reptilianos, muito antes da vida ser criada na Terra.

Os nibiruanos se dizem também os criadores da raça humana, mas quando os nibiruanos estiveram na Terra muito tempo depois eles apenas promoveram mudanças genéticas em parte dos seres que aqui já existiam, remanescentes da 4ª Raça Raiz e criaram a raça semita (que deu origem aos hebreus e árabes).

Os grupamentos de pleiadianos encarnados mais conhecidos da recente história da humanidade são os Essênios, os Maias, os Cátaros (que viveram no sul da França) e atualmente os Índigos que começaram a chegar no pós-guerra para quebrar o sistema vigente e na década de 60 foram os responsáveis pelo Movimento Hippie, onde se procurava valorizar mais a liberdade, a natureza, a paz e o amor.

Na condição de pleiadianos que se destacaram individualmente em sua passagem pelo planeta temos São Francisco de Assis (contemporâneo dos cátaros e fiel seguidor da filosofia deles), Sri Aurobindo, Krishnamurti, Madre Thereza de Calcutá, a atriz Shirley Maclaine e muitos outros.

Texto original adaptado e reeditado por Ibiatan Upadian por inspiração dos Pleiadianos

NOTA: As informações acima são frutos da experiência pessoal de Ibiatan Upadian, que na condição de pleiadiano foi levado por uma nave pleiadiana a visitar as Plêiades em 1999.

Ibiatan Upadian
http://ensinamentos-das-pleiades.blogspot.com.br/2012/04/pleiadianos-quem-sao-estes-seres-de-luz.html