Os Merovíngios

Os Descendentes dos visigodos deram origem à Dinastia Merovíngia. Na história oficial, essa dinastia acabou com a morte de Childerico III, em 755 d.C, mas, de acordo com o Priorado de Sião, à Linhagem Merovíngia sobreviveu, sendo perpetuada até a atualidade, a partir de, Sigisberto I, filho de Dagoberto II.

Os Merovíngios eram chamados “Reis dos cabelos longos”, pois seus cabelos continham suas virtudes e eram a essência do seu poder. Em 754 d.C., Childerico III, rei da Dinastia Merovíngia, foi preso e seus cabelos cortados por ordem do papa.

Eram iniciados nos mistérios antigos e nas ciências ocultas, conhecidos como grandes conhecedores do oculto e chamados de “Reis Bruxos”. Há relatos de que, devido a uma propriedade misteriosa e etérea presente no sangue desses monarcas, eles possuíam, em termos atuais, o dom de curar com as mãos, a clarividência, a telepatia e uma total integração com os animais e os elementos presentes na natureza.

Suas vestes eram ornadas com borlas douradas que diziam ter poderes curativos e mágicos. Em uma tumba merovíngia, foram encontrados objetos de extremo valor simbólico iniciático, como a cabeça dourada de um touro, uma bola de cristal, várias esculturas em miniatura de abelhas douradas. Os crânios desses monarcas apresentavam indícios de uma incisão ritual conhecida como Trepanação.

Eles eram considerados Reis-sacerdotes, a manifestação física do divino, condição correlata a dos faraós egípcios. Os membros da Dinastia Merovíngia, diziam-se descendentes de Noé que, segundo seus valores, era mais importante que Moisés, pois Noé era a fonte de toda a sabedoria contida na Bíblia. Pesquisas genealógicas traçaram uma linha de ascendência dos merovíngios até a Arcádia, na Grécia antiga. Segundo pesquisas, essa descendência era diretamente relacionada à casa real de Arcádia. Dizia também que seus membros haviam partido da Grécia, no período em que Jesus viveu, indo em direção à região onde hoje situam-se França e Alemanha.

Segundo textos apócrifos, não só era casada com Jesus como dessa união um filho foi gerado, havendo fortes indícios de que foi uma menina. Após a crucificação, José de Arimateia, Maria Madalena (trazendo a criança em seu ventre) e um grupo restrito fugiram da Terra Santa para a França. A Linhagem Merovíngia começou quando a descendente de Jesus e Maria Madalena casou-se com um aristocrata francês.

O Santo Graal (O Sangraal ou sangue real) é uma expressão medieval, cujo o significado era relacionado ao cálice usado por Jesus Cristo na última Ceia. No entanto, há outra interpretação para este termo: ele também designa uma descendência sanguínea  com Jesus, o “Sangraal”, ligado o Dinastia Merovíngia.

A Igreja Católica sempre monitorou  com atenção a Dinastia Merovíngia, pois além do grande poder exercido por seus monarcas, também havia suas crenças e práticas consideradas pagãs. Os preceitos estabelecidos pela Igreja não aceitam  e consideram heresia a ideia de Jesus ter casado e constituído uma família.

A origem do termo merovíngio é proveniente do primeiro monarca dessa Dinastia chamado Meroveu, rei dos Francos Sálios (447-457 d.C.). Seu Neto Clóvis foi o responsável pela conversão dos francos do Paganismo para o Cristianismo em 496 d.C. Também unificou os territórios que abrangiam os reinos de origem franca e derrotou em batalha os burginhões, os alamnos e os visigodos.

  

Childerico I  (filho de Meroveu)          Clóvis (Neto de Meroveu)

Os merovíngios eram considerados reis de direito. Na sucessão dos monarcas, não havia reis usurpadores, somente ocorriam através da linhagem legítima (ascendência sanguínea). Tornavam-se reis aos 12 anos de idade, sem cerimônia pública de coroação.

De acordo com a árvore genealógica dos merovíngios, nos Dossiês Secretos, um dos nomes que aparecem como parte da linhagem é o de uma antiga família francesa chamada Saint-Clair.

O príncipe Willian Saint-Clair construiu em 1446, uma famosa capela na Escócia, a Rosslyn Chapel, muitas vezes chamada de Capela do Graal. Segundo especialistas, essa capela foi construida usando-se conceitos de geometria sagrada. Tanto em seu exterior como em seu interior, é repleta de simbolismos, esculturas e alegorias de inspiração nos mistérios antigos e de esculturas egípcias, maçônicas, pagãs e bíblicas. Símbolos da antiga sabedoria não encontrados em qualquer outra capela do Século XV, figuras como “Green Man”, que representa a fertilidade na cultura celta.

                                             Rosslyn Chapel

                                                                         Green man

Ao longo das gerações merovíngias, vários monarcas sucederam-se no trono, e com o passar do tempo, seu poder foi enfraquecendo , pois os governantes cada vez mais delegavam poderes a homens que ocupavam cargos que em termos atuais, seria o de primeiro ministro, conhecido na época como prefeito ou mordomo do palácio. Entre os que se destacaram estavam: Carlos Martel e seu filho mais novo, Pepino III, o breve.

O último monarca merovíngio, Childerico III,  foi deposto por Pepino III em 751 d.C.

                                                                               Pepino III – O breve

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s